O Pet Shar Pei

O Pet Shar Pei

No passado foi muito usado também como cachorro de guerra na China.
Em 1978, essa raça entrou para o Guinness Book (Livro dos Recordes) como sendo o cachorro mais raro do mundo.
O nome Shar Pei significa “pele arenosa”, no que se refere à textura crespa e arenosa da sua pele. No momento em que alisada para trás, esta pele rígida pode ser inconfortável, e ainda mesmo machucar a pele de uma pessoa mais sensível.

A Origem do Shar-Pei

guia-shar-pei O Shar Pei pode vir a ter vivido nas regiões do sul da China desde a Dinastia Han (cerca de duzentos antes de Cristo ). A certeza surge no século XIII, em tratados que retratam um cachorro franzido e provam a presença da raça. Suas origens são desconhecidas, mas como só ele e o Chow-chow possuem a língua azul-escura, e os dois são originários da China, é possível que possuam o mesmo ancestral.
A gênese do Shar-pei é difícil de traçar, porque a maioria dos relatos com relação a sua origem perderam-se quando a China se tornou comunista. Naquele tempo, os Shar-Peis ajudavam os agricultores, cumprindo atividades de cão de guarda, predador de javali e cachorro de briga. Após o comunismo, a grande maioria dos cachorros chineses foi eliminada, sobrando poucos remanescentes fora das províncias.
Certos Shar-Peis foram criados em Hong Kong e Taiwan e o Kennel Club de Hong Kong legalizou a raça no ano de 1968. Naquele período, determinados espécimes chegaram à América, todavia o momento determinante ocorreu no ano de 1973, com a impressão de um texto alertando produtores estadunienses sobre os números pequenos de espécimes da raça. Exposto como o cachorro menos habitual do mundo, os produtores batalhavam pelos poucos Shar-Peis que estavam disponíveis. A partir daí, a raça passou da quase aniquilação para o ápice da popularidade e é uma das raças mais conhecidas do continente americano.

Características do corpo do Cachorro da Espécie Shar-Pei

caracteristicas-shar-pei O Shar-Pei tem uma pelagem macia, com rugas extensas na pele, que são mais nítidas no momento em que os cães ainda são filhotinhos. Esse é um cão bastante intenso, de corpo compacto, medindo tamanho equivalente a quarenta e cinco a cinquenta centímetros de altura da cernelha, medida única de um Shar-Pei mais velho.
É um cachorro considerado eficaz como cachorro pastor e de rastreio. Anatomicamente ele detém uma carranca e sua cavidade bucal colorida de preto, o que, conforme os chineses, afugentaria os espíritos maléficos e a nobreza de seu porte demonstraria que em nenhum momento teriam sido instigados.
A raça tem orelhas curtas e retangulares, tombadas na direção dos olhos. Sua cauda é virada de encontro ao tronco e sua pelagem é baixa e arrepiada. A pelagem aveludada é achada em colorações uniformes, as as mais conhecidas são o preto, vermelho, vermelho castanho, mogno, fulvo avermelhado, fulvo claro, areia, creme ártico e azulado.

Estrutura Psicológica da raça Shar-Pei

O Shar-Pei é um cachorro super leal, alerta, devotado à família, protetor e autossuficiente. De modo geral, é um cão retraído com pessoas novas, o que define sua criação como cachorro sentinela. Normalmente é um cão circunspecto, de comportamento autossuficiente, apesar disso, é consideravelmente esforçado, afetivo e próximo aos entes queridos.
Esta é uma raça indicada a proprietários experientes, que saibam instruir e disciplinar o filhotinho desde cedo. Os filhotinhos da raça Shar-Pei carecem de uma sociabilização precoce, junto a outros bichos, crianças e pessoas desconhecidas ao círculo familiar. Mesmo os cães bem socializados e corretamente instruídos, preservam suas propriedades de cão de guarda depois de maduros.
Independente de revelar um comportamento bastante sentinela, o Shar-Pei é considerado um cachorro quieto, late somente se necessário, ou para dar o alarme em situações perigosas, ou no decorrer das brincadeiras com todos na casa. Independente de ser inteligente, o cachorro desta espécie pode revelar-se teimoso ao longo do treinamento de obediência, em grande parte por seu comportamento autossuficiente e guardião.

Benefícios de Ter um Pet Shar-Pei

Shar-Pei é capaz de parecer triste ou melancólico, contudo quando você brincar com um, vai entender que ele é divertido e travesso, a melhor parceria para brincar na grama. Eles são afáveis e profundamente dedicados à família, criam laços fortes e se apegam muito àqueles que tomam conta dele.
O Shar-Pei é um cão voltado para a caça, especialmente de gado e outros espécimes. Apesar de ter este costume, gosta bastante de correr e se divertir com as crianças. Brincadeiras com pertences e bolas sempre são bem-vindas e isto deve ser feito continuamente para que o cão não sinta-se triste e desamparado.
Independente de não ser muito expressivo, é um cachorro muito dedicado e guardião de sua família. Será capaz de ser circunspecto e até mesmo bastante possessivo com desconhecidos. O Shar-Pei tem competências de caça apesar de usualmente se dar bem com outros animais domésticos da família.

Vantagens de ter um Shar-Pei

A grande parte dos cachorros desta espécie não late muito, são capazes de dar uma latidinha vez ou outra como forma de comunicação com o proprietário. O Shar-Pei vive bem em pequenos apartamentos, contanto que passeie todos os dias, e aprende com naturalidade a fazer xixi e cocô no local certo.
Além de tudo, o Shar-Pei se dá bem com crianças, mas precisa ser acostumado desde filhotinho a ter contato com vários humanos para se dar bem com desconhecidos. Aprecia estar na companhia de crianças para gastar energia e se entreter trazendo bolinhas e fazendo peripécias para chamar a atenção.
Essa espécie somente admite e acata ordens de seu proprietário, ainda não possibilita que estranhos lhe acariciem ou passem a mão na sua cabeça e, por causa do seu temperamento dominador, tem também uma vasta complicação de se relacionar e viver com outros cachorros.

Doenças usuais do Shar-Pei

problemas-shar-pei As típicas rugas do Shar-Pei demandam cuidados especiais, já que entre suas dobras acumulam-se tranquilamente sujeiras e umidade, podendo causar seborreia, dermatite e micose e eventuais lesões na pele (que podem evoluir para um câncer de pele) e mesmo cheiro desagradável. Com a finalidade de evitar esse quadro, a única recomendação confiável é conservar o cão sempre bastante seco e limpo. De preferência depois do banho, o proprietário deve enxugá-lo com uma toalha e deixá-lo ao sol com o objetivo de acabar com os resíduos de umidade.
As rugas da cabeça são capazes de inclusive causar problemas na visão, principalmente se caem em frente aos olhos, porque acabam fazendo com que as pálpebras e cílios entrem nos olhos (entrópio), ocasionando uma irritação que pode evoluir para lesões na córnea, levando à perda total de visão. Para evitar isso, recomenda-se que se dê três pontos nas pálpebras do cachorro ainda filhotinho a fim de que se formem “pregas” que previnem que as pálpebras caiam em cima dos olhos. Este método somente surte efeito quando o cachorro é filhotinho.
Outro problema característico ao Shar-Pei é a febre em razão de um mau funcionamento dos rins e fígado, há dificuldade em expelir as toxinas do corpo. O cachorro subitamente fica com febre alta. Pode chegar a ter dores nas juntas, dificultando a movimentação. Os sintomas tendem a sumir sozinhos, entretanto podem retornar a qualquer momento e acabam levando à morte. A doença não tem cura. Estudos demonstram que esse distúrbio é hereditário e que foi agravado pelo excesso de consanguinidade que a espécie foi vítima.
O Shar-Pei pode revelar ainda hipotiroidismo, que faz com que o cachorro perca pelo e sua pele engrosse muito. Em casos extremos, causa esterilidade, principalmente das cadelas. O Shar-Pei é também propenso à hipertermia, por causa de sua pele grossa e vasta, que conserva o calor no organismo e faz a a temperatura do corpo subir tanto, chegando a ocasionar a morte. Dessa forma, é intensamente relevante não submeter esta espécie a atividades físicas em horários muito quentes e nem mantê-lo sob o sol, a menos que seja de manhã.
Existem inclusive certos cães com mordedura prognata (dentes da frente da arcada de baixo fecham em cima da arcada superior). Embora não seja uma moléstia, é tido como um defeito criado pelas misturas. O padrão pede mordedura em tesoura (igual à dos seres humanos).

Como Cuidar de um Shar-Pei

Como qualquer animal doméstico, é essencial ensinar o Shar-Pei precocemente. O proprietário deve seguir uma rotina alimentar a fim de não modificar seu frágil sistema digestivo. Recomenda-se alimentação com alta gama e o mínimo de proteína animal. O excesso de proteína animal pode prejudicar sua saúde e, ainda, provocar alergias.
O Shar-Pei abomina o frio, entretanto adora deitar no sol. Possui uma gordura corporal que o resguarda contra múltiplos bichinhos e por causa disso apenas é recomendado dar banho uma ou duas vezes por ano, no máximo, porque demora a fim de que recupere essa gordura tão importante.
Após um extenso passeio, é recomendado limpar os olhos e ouvidos com bastante carinho e passar uma pequena toalha umedecida nos pelos.

Os Filhotes do cão Shar-Pei

O filhote do Shar-Pei é uma bolinha cheia de ruguinhas, sendo improvável não se deslumbrar. Os Shar-Peis costumam chamar bastante a atenção por ter uma aparência bastante exótica. Devido a essas dobrinhas são considerados os cães mais enrugados do mundo! São capazes de ser bastante dóceis com toda a família, entretanto são mais retraídos com pessoas desconhecidas. Quando filhotes, as rugas tomam conta de toda a sua estrutura física, mas, no momento em que adultos, continuam apenas na região em cima da cabeça, no pescoço e nos ombros.

O Pet Shar Pei
Avalie esta postagem

Deixe uma resposta